No seu jardim cresce picão-branco?

No seu jardim cresce picão-branco?

Hoje vamos falar sobre uma PANC (Planta Alimentícia não Convencional) muito conhecida nos países andinos, mas desvalorizada por nós brasileiros: o picão-branco (Galinsoga parviflora ou Galinsoga quadriradiata)!

O picão-branco é nativo da América do Sul, sendo uma planta subespontânea de diversas áreas rurais e urbanas, e por isto, é considerada daninha. Esta espécie também é chamada de guasca, principalmente nas suas regiões de origem.

Picão-branco (Galinsoga parviflora) ©Sabor de Fazenda
Picão-branco (Galinsoga parviflora) ©Sabor de Fazenda

Podemos utilizar suas folhas como hortaliça, refogadas ou cruas, porém seu maior uso é como tempero. O pó seco de suas folhas desidratadas é um tempero delicioso para sopas, ensopados e carne de frango. Para fazer sua secagem o processo é diferente dos tradicionais, feitos em temperatura ambiente, pois ela precisa de temperatura para ativar seu sabor. Se secarem em temperatura ambiente, elas não terão aroma e sabor. Nossa queridíssima Neide Rigo diz que 40ºC é uma boa temperatura de secagem.

Vamos ao processo de secagem….

Colha boa quantidade de ramos, pois com a temperatura eles reduzirão bem. Lave os ramos e seque delicadamente. Disponha-os em uma forma, não há necessidade de separar as folhas, pois isto é mais fácil fazer depois.

Secagem (Galinsoga parviflora) ©Sabor de Fazenda
Secagem (Galinsoga parviflora) ©Sabor de Fazenda

Ligue o forno na temperatura mínima, coloque a forma dentro e deixe a porta do fogão entreaberta, aqui nós colocamos uma forma igual a da foto na porta (para ela não fechar). O processo demorou cerca de 30 minutos. O ponto é aquele em que as folhas ficam quebradiças e fáceis de triturar na mão.

Secagem (Galinsoga parviflora) ©Sabor de Fazenda
Secagem (Galinsoga parviflora) ©Sabor de Fazenda

Vejam só como ficou depois de trituramos manualmente, nem precisou de processador.

Picão-branco seco (Galinsoga parviflora) ©Sabor de Fazenda
Picão-branco seco (Galinsoga parviflora) ©Sabor de Fazenda

Nós não produzimos o picão-branco, mas, se você tiver uma horta de canteiros, deixe os matos espontâneos crescerem livremente e ele provavelmente aparecerá. Ele aparece mais frequentemente no outono e primavera, sendo que seu tempo de vida é muito curto, menos de 50 dias. Por isto, não demore a utilizá-lo.

jardinagem_panc

Venha desvendar os mistérios que as Plantas Alimentícias não Convencionais nos reservam. Aprenda a cultivá-las e a preparar deliciosos e nutritivos pratos, gastando muito pouco. Curso Jardinagem Gastronômica – Especial PANC (03/10 das 9h00 – 13h30). Maiores informações aqui.

Av. Nadir Dias de Figueiredo, 395 – Vila Maria, São Paulo
(11) 2631-4915
sabordefazenda@sabordefazenda.com.br

Este post tem 8 comentários

  1. Elina Mara Ávila de Oliveira

    Como a natueza é pródiga. Em meu jardim tenho o picão branco. Vou utiliza-lo. Obrigada pela dica

  2. obrigada pelo post, aqui onde moro cresce muito picão branco, não sabia desse método para ativar o aroma dele.

  3. joa batista silva

    Eu fiz o tempero dele e ficou otimo mais sequei ele foi no sol mesmo

  4. Lúcia

    Eu estou surpresa como as pessoas esquecem das coisas, agora estão valorizando o que há muito tempo já era divulgado pelas extensionista da assistência técnica e extensão rural, Técnicas em Economia Doméstica preparavam e ensinavam pratos com estas plantas. Alimentação alternativa, depois como práticas interativas de alimentos.

Deixe uma resposta