Sálvia (Salvia officinalis)

Erva aromática, arbustiva, de pequeno porte, perene, ereta e ramificado na base. Atinge de 50-80 cm de altura. Flores pouco frequentes no clima brasileiro, de cor violácea. Folhas aromáticas, acinzentadas, de formato similar à língua e de textura aveludada. Seu solo deve ser fértil e bem drenado, devendo ser cultivada em regiões que recebam bastante sol, porém sem excessos de calor. Não tolera excesso de água. É sensível a ventos fortes e floresce do verão ao outono.

Imagens ilustrativas, o tamanho e maturidade da muda terá relação com sazonalidade e disponibilidade em estoque. Nossas mudas variam de 10 – 25 cm e, geralmente, não estão em floração.

R$ 9,10

Em estoque

Lista de Desejos Lista de Desejos Lista de Desejos
Fechar
Informação adicional
Peso 0,450 kg
Dimensões 9 × 10 × 30 cm

Família: Lamiaceae

 Origem: Albânia, França, Alemanha, Grécia, Itália, Espanha, Suíça e Iugoslávia

 Outros nomes populares: chá-da-frança, chá-da-grécia, erva-sagrada, salva, salva-comum, salva-ordinária, sálvia-comum, common sage (inglês), garden sage (inglês), sage (inglês), hierba sagrada (espanhol), salvia común (espanhol), salvia fina (espanhol).

 Características botânicas: arbusto de pequeno, perene, fortemente aromático, ereto, ramificado na base. Atinge de 50-80 cm de altura. Flores pouco frequentes no clima brasileiro, de cor violácea. Folhas aromáticas, acinzentadas, de formato similar à língua e de textura aveludada.

 Cultivo-Solo/Clima: o solo deve ser fértil e bem drenado, devendo ser cultivada em regiões que recebam bastante sol, porém sem excessos de calor. Não tolera excesso de água. É sensível a ventos fortes e floresce do verão ao outono. Propaga-se por estacas, divisão de touceiras ou sementes.

 Usos medicinais, culinários e/ou ornamentais: possui ação anti-inflamatória, sendo usada para gengivite (bochechos) e dores de garganta (gargarejo). De suas folhas faz-se inalação para congestionamento nasal. Na culinária, a receita mais conhecida é a de molho de manteiga com sálvia para macarrão e carnes. A culinária Ocidental usa-a para dar sabor à carnes gordas (especialmente em marinada), queijos, e algumas bebidas. Nos Estados Unidos, Reino Unido e Flandres, é usada com cebola, em recheios de porco ou aves e também em molhos. Na cozinha francesa, é utilizada para cozinhar carne branca e em sopas de vegetais. Os alemães usam-na frequentemente em pratos de salsichas. É também de uso comum na cozinha italiana. Nos Balcãs e no Médio Oriente, é usada em assados de borrego.

 Partes usadas: folhas, ramos foliares e flores.

 

ATENÇÃO: as informações aqui contidas são apenas para interesse didático. Antes de consumir qualquer planta medicinal consulte seu médico ou fitoterapeuta.