Flores Comestíveis

Flores Comestíveis
Por Gabi Pastro, herbalista

Nós aqui da Sabor de Fazenda adoramos a primavera, os jardins ficam mais lindos, vistosos e floridos. Por isto, segue mais um post falando sobre flores, desta vez falando das comestíveis. As espécies citadas na lista abaixo apresentam usos culinários, sendo que também são consideradas imensamente ornamentais em nossas hortas e jardins.

  • Amor-perfeito (Viola x wittrockiana): herbácea perene, sendo muito hibridizada e apresentando uma ampla variação de cores das flores. Atinge em torno de 15 cm e, se muito crescida, torna-se curvada, devido seus caules moles. Seu florescimento começa no período de inverno, estendendo-se pela primavera. Devido à sua variação de cores, é uma ótima opção para dar textura e cor ao jardim. Desenvolve-se bem tanto em vasos como em canteiros. Não tolera muito o calor, apreciando regiões mais frias com luminosidade solar menos intensa. Pode ser cultivada a meia-sombra e em solos férteis e levemente úmidos. Na culinária, as flores inteiras (ou somente as pétalas) são utilizadas para decorar sobremesas e ornamentar saladas, sendo que também podem ser cristalizadas ou congeladas em cubos de gelo para decorar drinques e refrescos.
Amor- perfeito (Viola x wittrockiana) ©Sabor de Fazenda
Amor- perfeito (Viola x wittrockiana) ©Sabor de Fazenda
  • Calêndula (Calendula officinalis): herbácia anual, atingindo entre 40 a 60 cm de altura, conforme vai crescendo, seus ramos podem se tornar curvados. Suas flores são grandes, variam entre o amarelo e laranja e surgem nos períodos de inverno e primavera. Pode ser plantada em vasos, porém em canteiros atinge toda sua beleza. Suas pétalas são utilizadas para ornamentar e aumentar o valor nutricional de saladas, salgados, como em tortas e sopas, e sobremesas, também podem ser utilizadas no preparo de risoto e sopas, conferindo uma coloração semelhante ao açafrão, porém com um sabor picante. Geralmente não utilizamos a flor inteira.
Calêndula (Calendula officinalis) ©Sabor de Fazenda
Calêndula (Calendula officinalis) ©Sabor de Fazenda
  • Capuchinha (Tropaeolum majus): herbácea rasteira, anual ou bianual, originária da América do Sul. Suas flores podem variar entre as colorações amarela, vermelha, rosa e laranja. Floresce praticamente toda época do ano, sendo de fácil cultivo. Em alguns locais, como jardins abertos e terrenos baldios, cresce espontaneamente. Ricas em vitamina C, proporcionando melhoria na pele e auxilia na prisão de ventre. Fica mais cheia e vistosa quando plantada em canteiros. Atualmente, suas flores, folhas e sementes são muito utilizadas na alta gastronomia. Folhas e flores podem ser consumidas tanto cruas como cozidas, conferindo sabor picante, semelhante ao agrião. As sementes conservadas em vinagre são denominadas alcaparras de pobres, sendo utilizadas para a preparação de inúmeros pratos. As flores podem ser usadas em saladas, recheios de tortas e quiches, compotas e na ornamentação de doces.
Capuchinha (Tropaeolum majus) ©Sabor de Fazenda
Capuchinha (Tropaeolum majus) ©Sabor de Fazenda
  • Manjericão (Ocimum sp.): as variedades de manjericão existentes possuem pequenas flores, quais variam de coloração, comumente as vemos nas cores brancas, esverdeadas e roxas. Para que o pé de manjericão possa crescer mais vistoso temos que retirar suas flores, pois elas consomem muita reserva energética da planta. O que muitos não sabem é que, ao fazermos este tipo de poda, podemos utilizar as flores em saladas, salgados e, principalmente, em água de cozimentos, como na do macarrão. Lembrando que seu aroma e sabor são mais intensos que as folhas.
Manjericão (Ocimum sp.) ©Sabor de Fazenda
Manjericão (Ocimum sp.) ©Sabor de Fazenda
  • Mini-rosa (Rosa chinensis var. semperflorens): roseira de pequeno porte, atingindo entre 20-40 cm de altura. Suas flores tem ampla variação de cores e podem estar presentes ao longo de todo ano, florescendo principalmente nos períodos de primavera e verão. Gosta de climas temperados, porém desenvolve-se bem em condições tropicais e subtropicais. Podem ser cultivadas em vasos, jardineiras ou canteiros, desde que o solo seja fertilizado, permeável e irrigado regularmente. Usamos suas pétalas para elaborar coquetéis, águas saborizadas, geleias, sorvetes, licores e saladas. Podemos usá-las in natura e cristalizadas.
Mini-rosa (Rosa chinensis var. semperflorens) ©Sabor de Fazenda
Mini-rosa (Rosa chinensis var. semperflorens) ©Sabor de Fazenda
  • Rosela/Hibisco (Hibiscus sabdariffa): arbusto de médio porte, bienal ou perene, crescendo de 1,5 – 3,0 de altura. Suas flores se formam ao longo de todo ano, possuindo cor rosa-arroxeada. Pode ser cultivada como ornamental, isolada ou em grupos e a pleno sol. Gosta de sol pleno e solo bem drenado. Seus cálices são muito utilizados na culinária, empregando-se para preparação de compotas, doces, chás e refrescos. Ao contrário do que muitos acham, são os cálices florais que geralmente usamos na culinária e vemos vendendo desidratados. Tipicamente utilizada no preparo do arroz de cuxá, um popular prato do Maranhão. Seu sabor é levemente amargo e lembra o do vinagre, razão pela qual também é chamada de vinagreira.
  • Violeta-perfumada (Viola odorata): herbácea pequena e rasteira, atingindo em torno de 10 cm de altura. Suas flores são pequenas, perfumadas e de cor violeta ou esbranquiçadas, florescendo principalmente na primavera. Pode ser cultivada a meia-sombra, em maciços ou bordaduras, em canteiros de terra rica em matéria orgânica, devendo ser mantida sempre úmida. Também possui características de planta ornamental, podendo ser elemento principal ou forração. Aprecia o frio, desenvolvendo-se bem em regiões mais ao sul. Suas flores podem ser utilizadas na preparação e/ou ornamentação de doces, como sorvetes e tortas (na sua forma crua ou cristalizada) e salgados.
Violeta-perfumada (Viola odorata) ©Sabor de Fazenda
Violeta-perfumada (Viola odorata) ©Sabor de Fazenda

Como vimos acima, as flores podem ser elemento principal ou coadjuvante de inúmeros pratos, conferindo sabor e aroma e aumentando o valor nutricional. Porém devemos nos atentar aos seguintes fatores:

  1. Procedência da planta: é importante que as flores sejam de boa qualidade e livres de produtos químicos, ou seja, preferencialmente orgânicas;
  2. Cuidado com os polens: se não souber se você e seus convidados têm alergia ao pólen, não as utilize no preparo.

Aprenda mais sobre cultivo, ervas, flores e hortaliças? Venha participar de nossos cursos presenciais e on-line. Confira a agenda aqui.

Av. Nadir Dias de Figueiredo, 395 – Vila Maria, São Paulo

Este post tem 14 comentários

  1. Claudia Kimie

    boa noite, meu nome é Claudia Kimie gostaria de saber se vocês sabem onde tem viveiro de nimi rosas para comercialização, desde ja agradeço…

    1. Olá, Claudia. Nós vendemos mini-rosas aqui no viveiro e nas feiras do Ibirapuera, Parque da Água Branca e Villa Lobos aqui em São Paulo. Caso seja de fora, enviamos as mudas em caixas via sedex. Se tiver interesse, nos mande um e-mail para sabordefazenda@sabordefazenda.com.br e fazemos um orçamento para você. Atenciosamente.

  2. CRORILZA CAPRIOTTI

    OLÁ….ESTOU A PROCCURA DE MUDAS DA VIOLETA ODORATA BRANCA E ROSA…VOCÊ TEM????/QUAL É O VALOR? GRATA

  3. Vilma Mafra

    Queria saber se pode plantar Gérbera com Ervas.Tenho um canteirinho no meu apartamento e queria plantar elas junto. Uso muito os temperos,manjericão, cebola, Hortelã, e alecrim que está crescendo lindamente. Tenho também alfavaca.Uso todos, Nao sei se pode juntar as rosas e as gérberas com as ervas. Pode me ajudar ?

    1. Olá, Vilma. Tudo bom? Você pode plantar junto sim no jardim aromático. Só indicamos plantar a roseira sozinha, pois se desenvolverá melhor. Abraços, Gabi.

  4. Crisólita Targino

    Gostaria de saber se vocês têm flores comestíveis,e como posso adquirir? Preciso saber preço e quantidade que posso comprar e que espécies vocês têm .E mudas como adquiriras?
    Agradeço Cris Targino

Deixe uma resposta